quinta-feira, 29 de julho de 2010

Um lugar à sombra

Nestes dias de calor, a alma abandona-nos e parte em busca de refugio no frigorífico lá de casa, imersa num copo de chá gelado, a fazer inveja ao corpo que ficou para tráz e se arrasta com a lassidão dos condenados ao deserto. O oásis lá ao fundo...

Que bom chegar a casa a meio da tarde, termómetros no máximo, encher o copo com gelo e chá e recuperar a alma. O primeiro copo é sem saborear, o segundo bebe-se com calma e suspiros. Neste caso, com muffins...


MUFFINS DE ABOBORA,

SEMENTES DE PAPOILA

E GLACÊ DE LARANJA

E

CHÁ GELADO DE PÊSSEGO


Muffins (12 unidades)
1 chávena de chá de puré de abóbora (cozida e reduzida a puré) 
1/2 chávena + 2 colheres de sopa de natas
1 ovo
1 e 1/3 chávenas de chá de farinha
1/2 colher de chá de fermento em pó
1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio
2/3 chávena de chá de açúcar
1/2 colher de chá de canela
3 colheres de sopa de manteiga derretida
2 colheres de sopa de sementes de papoila

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Cozer a abóbora sem casca e reduzir a puré (retirando primeiro todo o excesso de água). Adicionar ao puré, as natas e o ovo, mexendo bem.
À parte, misturar a farinha, o açúcar, o fermento, o bicarbonato, a canela e as sementes de papoila. Verter a mistura líquida sobre as farinhas, mexendo bem. Adicionar a manteiga derretida. Mexer até conseguir uma mistura homogénea.
Colocar as forminhas de papel pelissado dentro de formas de queques (para não deformarem com a consistência da massa) ou untar as formas de metal com manteiga e farinha. 
Verter a massa até 2/3 da capacidade das formas.
Levar ao forno durante cerca de 25 minutos.
Deixar arrefecer fora do forno.

Glacê de laranja
1 colher de sopa rasa de manteiga
Sumo de uma laranja
4-5 colheres de sopa de açúcar de confeiteiro

Misturar os ingredientes e levar ao micro-ondas, na potência média (650W), durante 1 minuto. Com uma colher, ligar os ingredientes e verter sobre os muffins já frios. Deixar arrefecer e secar.

CICLO DE VIDA DO MUFFIN 


Chá gelado de pêssego

1/3 chávena de chá (usei Darjeeling em folhas)
1 limão
1 bocado de gengibre (aproximadamente uma colher de sopa)
750 ml de água
Gelo (o equivalente a 8 copos de cubos de gelo)
2 pêssegos
1/2 chávena de açúcar

Colocam-se as folhas de chá, o limão cortado em rodelas e o gengibre sem casca e esmagado, num jarro que tolere temperaturas altas.
Verte-se a água a ferver dentro do jarro e deixa-se repousar durante cerca de 7 minutos.
Coa-se o chá para retirar as folhas e adiciona-se metade do gelo, misturando. Na liquidificadora, processam-se os pêssegos cortados aos pedaços e o açúcar. Coa-se esta mistura e adiciona-se ao chá.
Pode juntar-se limão às rodelas, pêssego aos pedaços e o restante gelo.



E o destino deste lanche é óbvio...









domingo, 25 de julho de 2010

Tudo o que nos basta

Há alturas em que nada nos é suficiente. O dinheiro não é suficiente, o trabalho não nos satisfaz o suficiente, o tempo nunca é suficiente, a paciência fica aquém da suficiente... enfim... é uma insatisfação melancólica que nos consome silenciosamente.

Há então, alturas em que devemos parar. Parar para olhar, parar para inspirar, para ouvir, sentir e para pensar.
E é então que reconhecemos o milagre. Olhamos em volta e vemos todos os que dão razão à nossa vida, inspiramos o mesmo ar, ouvimos as suas canções, sentimos a força que nos empurra e pensamos: afinal tenho tanto, não o tenho é apreciado o suficiente...

E já que estamos a apreciar, porque não pecar mais um pouco? Para a companhia certa, o acompanhamento certo...

BOLO DE AMÊNDOA COM 

DOCE DE OVOS



Bolo

1 chávena de chá de farinha
1/2 chávena de chá de amêndoa ralada
1 e 1/2 colheres de chá de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
3 ovos
3/4 de chávena de chá de açúcar
1/2 chávena de óleo
1 colher de chá de essência de baunilha
1/2 chávena de chá de sumo de laranja
Raspa de um limão

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Numa taça, juntar a farinha, a amêndoa, o fermento e o bicarbonato e envolver tudo.
Numa outra taça, juntar os ovos com o açúcar e bater bem, de seguida, adicionar o óleo, a essência de baunilha, o sumo de laranja e a raspa de limão e mexer bem. Juntar os ingredientes secos e mexer até conseguir uma mistura homogénea.
Forrar uma forma com papel vegetal e verter a mistura. Levar ao forno durante cerca de 30 minutos.
Deixar arrefecer antes de desenformar.




Doce de ovos

6 gemas
2 ovos
375 g de açúcar
150 ml de água

Numa caçarola, juntar o açúcar e a água. Levar ao lume até atingir o ponto de pérola. (A calda forma fios frágeis com bolas na ponta, quando escorre de uma escumadeira).
À parte, misturam-se as gemas e os ovos. Adiciona-se a calda de açúcar aos poucos, uma colher de cada vez, mexendo sempre. Uma vez adicionada toda a calda, verte-se a mistura na caçarola e coloca-se em lume brando até engrossar. Deve mexer-se sempre, evitando que a mistura ferva ou adira às paredes da caçarola.


Montagem

Corta-se o bolo ao meio.
Espreme-se o sumo de um limão e junta-se água e açúcar, de modo a fazer uma calda com a qual se regam as metades do bolo.
Recheia-se o bolo com metade do doce de ovos e utiliza-se a outra metade como cobertura.
Decora-se a gosto. Eu utilizei amêndoa lâminada, torrada durante 5 minutos a 180ºC. Polvilhei com açúcar de confeiteiro.




segunda-feira, 19 de julho de 2010

Sem palavras

Andava para fazer um soufflé há uma série de tempo. Vasculhei tudo o que era receita, truques e dicas para conseguir o souflé perfeito e... finalmente, hoje decidi-me.
O resultado é dificil de descrever. Primeiro ficaram lindos e tive um acesso de vaidade, depois foi a correria para tirar uma fotografia a tempo, que fizesse justiça à pequena maravilha que tinha diante de mim e, por fim, quando se abateu a gloriosa beleza e se juntou o paladar aos restantes sentidos... hum... não há palavras.
Há quem seja pelo chocolate, outros há que são pelo pão-de-ló, outros ainda pelos doces conventuais... Pois é, levou algum tempo, mas acho que sou pelo soufflé!


SOUFFLÉ DE BAUNILHA

















Ingredientes (6 unidades)

50 g de manteiga
250 ml de leite
30 g de farinha
4 ovos
80 g de açúcar
1/2 colher de sobremesa de essência de baunilha

Pré-aquecer o forno a 190ºC.
Numa caçarola colocar o leite, a farinha e a manteiga e levar a lume brando, mexendo sempre. Quando engrossar o creme, adicionar a essência de baunilha e duas colheres de sopa do açúcar. Mexer bem até dissolver o açúcar. Retirar do lume.
Juntam-se as gemas, uma a uma, coadas para retirar a película envolvente da gema.
Batem-se as claras em castelo firme e adiciona-se o restante açúcar, batendo novamente. Envolvem-se as claras na mistura anterior.
Untam-se os ramekins (tacinhas cerâmicas circulares próprias para soufflé) com manteiga e polvilham-se com açúcar. Verte-se a mistura nas taças até ficarem cheias e limpam-se os bordos das taças, para que o crescimento do soufflé seja uniforme.
Vão ao forno durante 15 minutos. Servem-se imediatamente e polvilhados com açúcar de confeiteiro ou com outra cobertura a gosto.



Assim que sai do forno, o soufflé faz justiça ao seu nome. Soufflé é uma conjugação do verbo em francês souffler ou inchar, explodir. Mas depressa se extingue a explosão ficando um aroma e um sabor que deixam saudades.







E acaba cedo demais...

"Nada há sublime que não seja breve"

 
Ramón Campoamor y Campoosorio

domingo, 18 de julho de 2010

Docinhos de leite...

E ainda há quem julgue que comprar feito é bem mais fácil... Que engano mais redondinho! Só de pensar em sair de casa, meter-me no carro e esperar para ser atendida numa pastelaria ou afim, perco de imediato a vontade de comer o docito. 
É muito mais rápido e saboroso fazê-los! Misturar os ingredientes como numa poção mágica e mexer o caldeirão até que, com abra-cadabras e pós de perlim-pim-pim, nos aparece sobre a mesa um doce deleite.
É claro que quanto mais poderosa a magia, mais elaborado será o doce. Hoje, a magia está fraca..., está ofendida com uma lombalgia interminável que não se envergonha com poções e mezinhas. Mas mesmo fraca, ainda é suficiente para fazer aparecer estas queijadinhas. Quem conhece sabe que não dão trabalho nenhum, rendem um montão e sabem deliciosamente.


QUEIJADAS DE LEITE


Queijadas (20 unidades)

5 dl de leite
4 ovos
350 g de açúcar
100 g de farinha
30 g de manteiga
Raspa de um limão

Pré-aquecer o forno a 200ºC.
Numa caçarola juntar o leite e a manteiga e deixar aquecer até que a manteiga derreta. Reservar e deixar arrefecer.
Numa taça, misturar o açúcar e a farinha e adicionar os ovos, um a um, mexendo bem entre cada adição. Juntar o leite arrefecido, em fio, batendo sempre. Adicionar a raspa de limão e mexer.
Untar as forminhas com manteiga e polvilhar com farinha e verter a mistura até 2/3 da capacidade das formas. Levar ao forno pré-aquecido durante cerca de 20 minutos.
Deixar arrefecer antes de desenformar. Podem polvilhar-se com açúcar de confeiteiro e canela.



Podem utilizar-se formas de papel, sem serem untadas e polvilhadas, mas estas devem ser colocadas dentro de outras de metal ou silicone para não deformarem com o peso da massa. As queijadas assim feitas, devem arrefecer muito bem antes de desenformar para não ficarem agarradas ao papel. Mas ficam boas e ainda dão menos trabalho!






LINDAS!

sábado, 17 de julho de 2010

Parabéns Sandra!

E a nossa amiga Sandra volta ao ataque. Desta vez enviou-nos a receita e as fotos do seu bolo de aniversário, que ficou lindo! Aqui fica a sua publicação.
"No dia 20 de Junho completei mais uma primavera e de repente deu-me um ataque de loucura e decidi fazer o meu próprio bolo de aniversário.
Mas este momento de insanidade e loucura teve inicio com a publicação da amiga Mafalda do bolo de aniversário da sua pequena Rita, e como ficou tão lindo decidi pôr á prova os meus dotes de boleira e assim seguindo as dicas da minha amiga  arregaçei as mangas e pus mãos á obra.

A receita deste bolo de chocolate foi-me dada pela mãe da minha amiga Fátima Santos e então é assim:

BOLO DE ANIVERSÁRIO DA SANDRA

Bolo de Chocolate
6 ovos
75 gr de chocolate
1 dl de água quente
250gr de farinha
300gr de açucar
3 colheres de chá de fermento
1 pitada de sal
1 dl de óleo
1 colher de sopa de açucar para as claras
Dissolver o chocolate com a água quente e deixar arrefecer.
Num recipiente juntar a farinha e o açúcar, abrir uma cavidade no meio e deitar as gemas, o chocolate, o óleo, o sal e o fermento.
A seguir misturar e bater muito bem os ingredientes com a colher de pau.
À parte, bater bem as claras em castelo bem firme e para isso juntar a tal colher de sopa de açúcar.
Envolver as claras em castelo na massa sem bater.
Deitar o preparado numa forma redonda ou quadrada bem untada de manteiga e polvilhada com farinha e levar a cozer em forno pré aquecido a 180º C cerca de uma hora.
Para o recheio do bolo usei a receita do curd de laranja da Mafalda já publicada no blog e para este bolo fiz a receita dobrada, e para complementar cortei morangos aos pedaços para o recheio. A receita do bolo fi-la 5 vezes. Deu um pouco de trabalho mas acho que valeu a pena, porque ficou delicioso e até a minha irmã já me pediu para lhe fazer o bolo de aniversário dela, mas mais pequeno.
Para enfeitar o bolo usei as pastas de açucar tal qual a Mafalda que se podem encomendar pelo site Isto faz-se.
Para que a pasta que vai cobrir o bolo fique bem aderente pincelei o bolo com geleia de morango, uma bela dica da Mafalda."
 PARABÉNS SANDRINHA!!

O prometido é devido.

Há tempos publcámos umas receitas enviadas pela amiga Sandra Pimenta mas, em alguns computadores não era possível visualizar o post na totalidade. Tal como prometido, aqui está o que muitos não conseguiram ver. Vale a pena!

BOLO DE FRUTOS 
SECOS COM CANELA


Ingredientes:


2 maçãs reinetas (ou outras a gosto)
300 gr de açúcar (eu cortei um pouco para manter a linha)
300 gr de farinha
1 colher de sopa de fermento
150 gr de manteiga amolecida
3 ovos
1 copo de leite
nozes pinhões, amendoas laminadas,etc
passas (facultativo)
canela em pó q.b. e a gosto (não esquecer que é afrodisiaco)


Descascam-se as maças, cortam-se em quartos e depois em fatias. Eu pessoalmente, cortei uma delas em pedaços pequenos e envolvi na massa, mas fica ao vosso gosto. Reserva-se a maçã descascada.

Em seguida batem-se as gemas com o açucar até ficar creme, e em seguida vai-se deitando a farinha (previamente envolvida com o fermento) aos poucos e alternando com o leite e com a manteiga amolecida. Bate-se tudo muito bem e por último, envolvem-se as claras batidas em castelo.

Misturam-se uma parte dos frutos secos e a maçã cortada em pedacinhos e a canela a gosto e envolve-se tudo muito bem.

Deita-se a massa num tabuleiro previamente untado e polvilhado com manteiga e farinha. Deitam-se por cima os restantes frutos secos e a maçã cortada em fatias e vai a cozer em forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 30 min.

Desenforma-se depois de cozido e pode-se acompanhar neste tempo de calor com uma bolinha de gelado de baunilha.

Bom Apetite e espero que gostem.

domingo, 11 de julho de 2010

Se a loucura tivesse sabor

Desta vez é que foi... perdi a cabeça. E perdi-a no meio de tanto chocolate. E porque não? Se o mundo tivesse de acabar, que acabasse em chocolate, perdido por cem... perdido por mil!

Foi de um sonho alucinado, induzido por tanto cacau, que surgiu esta ideia, que sendo tão hiperbólica poderá (ou deverá) ser fraccionada em porções mais realistas. Mas eu decidi fazer tudo de uma só vez, qual artista Rococó. O resultado foi este bolo, que está a ser consumido com moderação forçada e oferecido aos amigos como penitência...


BOLO CHOCOLOUCO
(OU BOLO DE CHOCOLATE COM MOUSSE,

FUDGE, MERENGUE E COBERTURA DE CHOCOLATE)


Bolo

125 g de manteiga amolecida
5 gemas
200 g de açúcar
200 g de farinha
1 colher de sobremesa de fermento em pó
1 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio
130 g de chocolate em tablete
250 ml de leite
Sumo de um limão

Numa taça, mistura-se o leite com o sumo de limão de modo a formar leitelho. Reserva-se.
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Numa tigela, em banho-maria, mistura-se a manteiga com o chocolate até este derreter. Juntam-se então as gemas e o açúcar e mexe-se bem até derreter o açúcar. 
Retira-se do lume. Adiciona-se o leitelho e a farinha, o fermento e o bicarbonato, mexendo bem até a mistura ficar homogénea. 
Verte-se metade da mistura para uma forma redonda com cerca de 22 cm de diâmetro, previamente forrada com papel vegetal. Vai ao forno durante cerca de 30 minutos.
A restante mistura é cozinhada da mesma forma, quando o primeiro bolo estiver pronto.

Mousse de chocolate

140 g de chocolate em tablete
30 g de manteiga
200 ml de natas batidas
3 gemas
25 g de açúcar de confeiteiro
2 folhas de gelatina incolor

Em banho-maria, derrete-se o chocolate com a manteiga e reserva-se.
Numa outra taça, em banho-maria, misturam-se as gemas e o açúcar. Bate-se até que o açúcar se dissolva totalmente. Após arrefecer, junta-se a mistura de chocolate e as natas batidas. 
Demolham-se as folhas de gelatina em água fria até amolecerem, escorrem-se e dissolvem-se em duas colheres de sopa de água quente. Adiciona-se à mousse e reserva-se no frio, coberta com película aderente.




Fudge de chocolate

1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de cacau em pó
1 chávena de açúcar
1/3 chávena de leite
40 g de chocolate em tablete
1 colher de sopa de mel
Pitada de sal

Numa caçarola, em lume médio, mistura-se o leite com o cacau peneirado, o açúcar e o sal. Mexe-se sempre até dissolver o açúcar. Quando levantar fervura, adicionar o chocolate, o mel e a manteiga. Mexer sempre e ao levantar fervura, coloca-se a tampa durante dois minutos. Destapa-se e deixa-se ferver até engrossar um pouco (um ou dois minutos). 


Merengue de chocolate

5 claras
200 g de açúcar
2 colheres de sopa de chocolate em pó

Batem-se as claras em castelo e adiciona-se o açúcar, misturando bem. Junta-se o chocolate em pó e mexe-se bem. Verte-se o merengue sobre uma placa de silicone ou sobre uma folha de paple vegetal, com a forma redonda no diâmetro do bolo. Vai ao forno durante 10-15 minutos.



Cobertura

100 g de chocolate em tablete


Montagem

Sem retirar o papel vegetal do primeiro bolo, volta a colocar-se o bolo na forma redonda. Verte-se a mousse de chocolate sobre a primeira camada de bolo, alisa-se e coloca-se no frigorifico durante o tempo suficiente para esta ganhar consistência.
Coloca-se depois a segunda camada de bolo sobre a mousse e verte-se o fudge sobre o bolo, espalhando uniformemente. Sobre o fudge coloca-se a camada de merengue que se destacou cuidadosamente da placa de silicone ou do papel vegetal. Por fim, derretem-se 100 g de chocolate e verte-se sobre o merengue.


Aqui fica uma receita de chocolate levada ao extremo. Qualquer um destes recheios ou coberturas ficam perfeitos com este bolo. Apenas o bolo é simplesmente delicioso e não precisa de "acessórios" para o tornar mais atraente. 





Esta receita não foi mais que um ensaio. 
Um ensaio sobre a loucura...

quinta-feira, 8 de julho de 2010

È UM INTERNO CHERRY…BIOLÓGICO E RECHEADO

TOMATES CHERRY RECHEADOS COM CAMARÃO


Foi com muito carinho …houve alguém (Phil Laut) que teve uma observação muito perspicaz …



 
Os bebés são colocados direitos para arrotar quando têm o estômago cheio. Por isso, aprendemos muito cedo na vida a receber carinho quando os nossos estômagos estão cheios!E mantemos ao longo da nossa vida, aquela ligação entre a comida e o afecto.


UFF…o calor é muito, mas consegui.


Um saco cheio de tomates cherry com uma cor verdadeiramente genuína , da qual já estava á espera.


Pode ser uma entrada ou para quando não se quer fazer mais nada ser servido como tapas …mas com nivél.








Vermelho significa força, , dinamismo. É uma cor exaltante e até enervante. Impõe-se sem discrição. É uma cor essencialmente quente, transbordante de vida e de agitação.











Apesar da cor ser quente ,não deixa de ser uma entrada fresca saborosa gulosa ,para um jantar de amigos, também não enche, não enjoa e não mata a fome para o prato princpal, ou seja deixa-nos confortável .


A musica seleccionada foi Au Revoir Simone – All or Nothing; The National – Anyone Ghost é já agora Arcaide Faire –No Cars Go, Yeah Yeah Yeahs -Y Control…

INGREDIENTES


½ TOMATES CHERRY


200G CAMARÃO


1 OVO COZIDO


4 AZEITONAS PRETAS


COENTROS


2COLHER DE SOPA DE MAIONESE


SAL


PIMENTA PRETA MOIDA


LIMÃO






PREPARAÇÃO
Começo por cozer o camarão o ovo e reservo deixando arrefecer. Corto ambos em bocados muito pequenos, junto as azeitonas, coentros e por fim a maionese, tornando todos os ingredientes numa pasta


De seguida prepara os tomates cortando apenas a parte superior e retira o conteúdo com uma colher de café. Estando preparados é temperar com sal e pimenta a gosto e ficam prontos a rechear.

sábado, 3 de julho de 2010

Fan-tás-ti-co!


É oficial... As férias estão a terminar... Decido afogar a tristeza num copo de Iced Tea e numa fatia de bolo de limão. E fico um pouco melhor! Continuando na senda das receitas de Verão, com muita fruta e frescura, dei de caras com uma receita original de Jamie Oliver (o grande Jamie), que tive de adaptar por não ter amêndoa suficiente para cumprir as ordens do chef. Sem mal! Ficou muito, muito bom. Para quem gosta de limão, ficou divinal. Para mim... soberbo! Adoro todas as sobremesas que incluam limão na sua lista de ingredientes. Raspa de limão, casca de limão, sumo de limão, lima e limão!


BOLO DE LIMÃO COM 

SEMENTES DE PAPOILA 

E GLACÉ DE LIMA




Bolo:

120 g de manteiga amolecida
160 g de açúcar
4 ovos
50 g de amêndoas moídas
20 g de sementes de papoila
2 limões (raspa e sumo)
Raspa de uma lima
160 g de farinha
1 colher de sopa de fermento em pó
50 g de amido de milho


Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Na batedeira, bater a manteiga com o açúcar até conseguir uma consistência cremosa. Adicionar os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição. Sempre a bater, juntar a amêndoa moída e as sementes de papoila. Acrescentar a raspa dos limões e da lima e o sumo dos limões bem como as farinhas e fermento. Envolver tudo sem bater. 
Untar e enfarinhar uma forma de bolo inglês e verter a massa no seu interior. Levar ao forno durante cerca de 25 - 30 minutos.

O bolo não cresce muito e, por volta do meio da cozedura, vai deprimir no centro. Não desespere! Não é defeito mas feitio. Ele vai ficar óptimo!


As sementes de papoila não são muito fáceis de encontrar. Eu comprei durante o Festival Med em Loulé, numa banca idílica, recheada de grãos, sementes, chás, sal aromatizado e ervas... (tudo para culinária). Podem ver no site www.algarvespice.info, comprar on-line e fazer perguntas ao Sr. Hartmut Meuschel, um alemão simpatiquíssimo.







Calda:

100 ml de sumo de limão
100 g de açúcar

Misturar os ingredientes, mexendo bem para diluir o açúcar. 
Verter sobre o bolo ainda quente dentro da forma.
Deixar arrefecer e, só depois, desenformar.


Cobertura:

Sumo de uma lima
120 g de açúcar de confeiteiro

Misturar os ingredientes e cobrir o bolo com o glacé.








Para saborear como a vida, devagar...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Fruta de Verão

Ai as férias... que estão quase a terminar... Antecipo já as saudades que vou ter da vida mansa e do correr dengoso dos dias. No final, sejam cinco dias ou três semanas, o tempo passou a correr e parece que foi ainda ontem que começaram. Agora que eu lhes estava a tomar o gosto...

Depois dos dias na Zambujeira do Mar, fomos visitar a família a Loulé e viemos brindados com umas ameixinhas criadas como deve ser, sem corantes nem conservantes, absolutamente e completamente biológicas. A aparência mirrada mas o sabor... a ameixa de verdade. 

Para celebrar e agradecer esta oferta, fiz não uma mas duas receitas.


TARTES DE AMEIXA



Ingredientes

1/2 chávena de chá de amêndoas lâminadas
115 g de manteiga sem sal
1 chávena de chá de açúcar de confeiteiro
1/3 de chávena de chá de farinha
Pitada de sal
4 ovos
1/2 colher de chá de essência de baunilha
4 ou 5 ameixas

A massa destas tartes deve ser preparada de véspera, segundo a receita original (não sei bem onde vi esta receita...). 
Torram-se as amêndoas no forno e deixam-se arrefecer.
Numa caçarola pequena, derrete-se a manteiga até esta começar a queimar. Coa-se a manteiga através de um pano fino de modo a reter as impurezas. Resultam 6 colheres de sopa de manteiga. Reserva-se.
Num robot de cozinha (eu utilizei uma liquidificadora), coloca-se o açúcar peneirado, a farinha, também peneirada, as amêndoas e o sal. Centrifuga-se tudo de modo a obter uma farinha fina. Adicionam-se os ovos, um a um, centrifugando entre cada adição. Junta-se a manteiga derretida e a essência de baunilha. Mistura-se tudo e reserva-se no frio até ao dia seguinte.



Pré-aqece-se o forno a 175ºC.
Untam-se e enfarinham-se as formas de tartelettes e verte-se a massa até 2/3 da sua capacidade.
Cortam-se as ameixas com a casca em lâminas e dispõe-se sobre a massa. Polvilha-se com um pouco de açúcar de confeiteiro e colocam-se no forno durante cerca de 25 minutos. 
Deixam-se arrefecer antes de desenformar.


BOLO DE ESPECIARIAS 

E AMEIXA




Ingredientes

2 ovos
100 g de açúcar amarelo
70 g de manteiga à temperatura ambiente
1/3 de chávena de chá de óleo
170 g de farinha
1 colher de chá de fermento em pó
1 e 1/2 colheres de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de cardamomo em pó
1/2 colher de chá de essência de baunilha
Raspa de meio limão
5 ameixas


Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Bater o açúcar com a manteiga até conseguir um creme homogéneo. Adicionar os ovos, um a um, batendo entre cada adição. Juntar o óleo, a raspa do limão e a essência de baunilha, mexendo tudo no final para unir.
Numa tigela, juntar a farinha, o fermento em pó, a canela moída e o cardamomo. Envolver o preparado anterior nas farinhas até a mistura ser homogénea.
Verter para uma forma (eu utilizei uma forma de bolo inglês), previamente untada e enfarinhada. Polvilhar com açúcar amarelo e levar ao forno durante cerca de 30 minutos.
Desenformar depois de frio.



O cardamomo é uma semente da família do gengibre com utilização na medicina tradicional chinesa e indiana. É utilizado também como especiaria em gastronomia, fazendo parte de alguns pratos típicos aziáticos e indianos. Ao paladar é semelhante à erva doce, com aroma mentolado e fresco. Pode encontrar-se à venda em semente ou em pó, em lojas de produtos naturais.